sábado, 19 de agosto de 2017

sábado, 12 de agosto de 2017



ainda que de dentro da casa o barulho dos passos surja ao longe
das mãos
aqui perto
a música

Inez Andrade Paes




segunda-feira, 31 de julho de 2017

terça-feira, 18 de julho de 2017

RUBIS DE MOÇAMBIQUE



a miséria contempla dor
entre míseros

a miséria contempla amor
que da mão do próprio
traz sangue
e fome

e o que de mais cruel é
neste canto que conheço

é que não merecem estes
a mão que lhes dá o soco

a mão que lhes dá o pão?

quem é que comanda assim
quem é o errante soldado
armado
que chega ao posto e miseravelmente é comandado

é um Moçambicano oco
que para sobreviver
dá um soco
ao miserável homem pintado 
do vermelho do buraco

Inez Andrade Paes

quinta-feira, 13 de julho de 2017




sabes o que são facas?
tua gentil palavra
 

mas tu sabes
o que são palavras do silêncio mais morto



Inez Andrade Paes

quinta-feira, 22 de junho de 2017




                                 Ciconia ciconia
 
linear presença  
  
no entanto a diferença
quando pousam no ninho 

estátuas de porcelana branca
com duas ou mais pinceladas negras

Inez Andrade Paes

segunda-feira, 5 de junho de 2017

segunda-feira, 15 de maio de 2017



entre vagas alteradas
entre as mortas e cansadas
transparências únicas

as flores calcárias

Inez Andrade Paes 

sábado, 8 de abril de 2017




Quem adivinha que flor é esta?
Posso dizer que é pequenina e de cheiro amargo. E nos dias de chuva, a gota é um fardo. Mas vive a pequenina.
Quem adivinha que flor é esta?

(Pergunto de verdade. E a flor entretanto abre-se com o sol que passou uns segundos nesta tarde)

Inez Andrade Paes